As bases de formação do pensamento político brasileiro. Relações de interlocução entre a sociedade que origina a política e o pensamento social do país. Introdução ao pensamento político brasileiro. A formação da nação. Política, escravidão e liberalismo no Brasil. O pensamento conservador brasileiro e a modernização conservadora. Joaquim Nabuco, Euclides da Cunha, Oliveira Viana, Azevedo Amaral e Getúlio Vargas. Os intérpretes do Brasil da geração de 30. Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Júnior. A institucionalização do pensamento político: ISEB e CEBRAP. Florestan Fernandes: a questão racial e a revolução burguesa. 

Reflexão sobre a atividade de ensino e o processo de aprendizagem. Analisar o currículo para a disciplina de Sociologia no Ensino Médio e apresentar alternativas. Estudar e pesquisar os recursos didáticos para a prática do professor e a elaboração de projetos interdisciplinares. Estudo do contexto da sociologia como disciplina do currículo escolar e dos parâmetros curriculares nacionais. Reflexão da relação entre sociologia e educação e da relação entre ciências humanas e tecnologias. Discussão da sociedade como laboratório da sociologia e da apropriação do conhecimento para a formação de professores. Os sociólogos contemporâneos e o nascimento da sociologia no Brasil. A obrigatoriedade da sociologia no ensino médio e as novas perspectivas epistemológicas para o ensino de Sociologia. Pesquisa e projeto na escola. Reflexão dos conceitos e sua relação com a prática. Concepção teórico-metodológica da aprendizagem e do processo de construção do conhecimento. Reflexão para uma educação problematizadora e crítica. As várias formas de linguagem e o uso de diferentes documentos como material didático. 

Análise de obras e teses dos principais autores que produziram importantes interpretações sobre os dilemas sociais vividos pela sociedade brasileira. A formação do pensamento social brasileiro e suas definições conceituais. Estudo das teses sobre a questão nacional brasileira. Apresentação dos intérpretes do Brasil nas primeiras décadas do século XX e do pensamento autoritário do final do século XIX. O Brasil visto pelos intelectuais da segunda metade do século XX: teses sobre o subdesenvolvimento, a tese do patrimonialismo, a teoria do protagonismo das massas na democratização da sociedade, a tese das especificidade da Revolução Burguesa brasileira, a noção de Conciliação como conceito chave para explicar as mudanças históricas no Brasil, a contribuição de Octavio Ianni e Darcy Ribeiro à compreensão do preconceito racial no Brasil. O pensamento social brasileiro na atualidade.